Guerreiro, Chelsea empata no Camp Nou e elimina o “imbatível” Barcelona


Por: Getulio Xavier

Com a derrota por 1 a 0 na primeira partida contra o Chelsea, o Barcelona entrou no Camp Nou (ESP), nesta terça-feira (24), precisando vencer por 2 gols de diferença. Já o Chelsea entrou com a vantagem de um gol e inúmeros desfalques na sua defesa. O jogo foi válido pela semifinal da Champions League e definia quem iria para a grande final do dia 19 de maio, em Munique, Alemanha.

Defesa do Chelsea foi essencial para a classificação (Foto: AFP)

1º tempo

O Barcelona, como todos esperavam, começou ditando o ritmo do jogo, tocava muito a bola e tentava de qualquer maneira furar o paredão do Chelsea armado por Di Matteo. Já o time inglês jogava com a vantagem de um gol a seu favor, então postou seus jogadores todos recuados e usando apenas contra-ataques.

A defesa do Chelsea, que já não contava com David Luiz, perdeu mais dois zagueiros, aos 12 minutos, Cahill sentiu dores na coxa e foi substituído pelo lateral Bosingwa, que passou a jogar improvisado como defensor e, aos 37 minutos, Terry foi expulso por dar uma joelhada no atacante Sánchez.

Com a defesa desarmada ficou mais fácil para o Barça, que abriu o placar com Busquets que recebeu livre dentro da área para marcar. O time catalão seguiu dominando a partida e os ingleses com mais dificuldades na marcação. Ainda na primeira etapa os espanhóis aumentaram com Iniesta que, aos 43 minutos, tocou na saída de Cech e balançou as redes.

Nesta altura uma reação do Chelsea parecia improvável, mas o brasileiro Ramires, improvisado como lateral direito, puxou um contra-ataque já nos acréscimos, e deu um lindo toque por cobertura descontando para os visitantes. O gol inglês reascendeu o clima da partida e deixou a equipe catalã ainda mais nervosa em campo. O apito final do arbitro pôs fim a um grande primeiro tempo.

2º tempo

No retorno aos gramados o Chelsea entrou em campo com a mesma equipe, mas com um posicionamento diferente. Drogba, antes centroavante, voltou como um lateral esquerdo, Lampard e Ivanovic formavam a nova dupla de zaga. A conversa com Roberto di Matteo no intervalo também trouxe resultado, pois mesmo jogando mais recuado do que na primeira etapa, o Chelsea parecia estar com todos seus jogadores em campo, tanto que anulava quase todas as tentativas de finalização do Barcelona.

Apesar disto Drogba quase se tornou o grande vilão da partida, logo aos 2 minutos, o marfinense derrubou Cesc Fàbregas dentro da área e o arbitro apontou o pênalti. Messi, como sempre, chamou a responsabilidade e foi para a cobrança. Ele bateu, mas a bola subiu demais e explodiu no travessão. O time catalão foi só pressão até o fim do jogo, manteve a maioria esmagadora da posse de bola e arriscou muito mais. O Barça até marcou o terceiro gol com Sánchez, mas o assistente marcou impedimento de Daniel Alves que tinha participado da jogada. O grande destaque do segundo tempo foi o goleiro Cech, do Chelsea, que impediu, por inúmeras vezes, que os espanhóis ampliassem e avançassem para a grande final.

Até que, quase no ultimo lance, o contestado Fernando Torres, que entrou no lugar de Drogba, recebeu uma bola no meio de campo e puxou um contra-ataque, disparando e saindo sozinho contra o goleiro Valdés, que foi driblado, antes de ‘El Niño’ Torres marcar o gol de empate. O gol de Torres apenas sacramentou a classificação, já que o placar de 2 a 1 classificava o Chelsea. O apito final acabou com qualquer chance de reação espanhola e decretou a classificação dos ingleses para a grande final na Allianz Arena em Munique.

Messi lamenta a desclassificação (Foto: AFP)

Opinião do Jornaleiro

Apesar de ser o grande favorito ao título da Champions League, o Barcelona não soube administrar o jogo em casa nem a derrota para o Chelsea na primeira partida. Mais uma vez o técnico italiano Roberto di Matteo foi essencial para a classificação, armou uma equipe com uma filosofia de jogo e, principalmente, soube lidar com as dificuldades durante a partida, como lesões, desfalques e expulsão. Além do técnico o goleiro Cech se destacou nesta partida, com inúmeras defesas e a maioria delas essenciais para o desfecho do jogo. A equipe inglesa chega a final como a grande zebra desta edição, pois era um time que não vinha de uma boa campanha no campeonato nacional e começou a se acertar apenas na fase eliminatória da Champions. O time mereceu esta classificação, pois administrou todos os fatores que envolviam a partida, inclusive fatores extracampos como o favoritismo catalão e a pressão da torcida adversária.

Confira o vídeo com os lances da partida:

Sobre Jornaleiros do Esporte

Site sobre esportes dos alunos da Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Email : jornaleirosdoesporte@gmail.com Twitter : @Jesporte Facebook : http://www.facebook.com/#!/profile.php?id=100002390365816

Publicado em 24 de abril de 2012, em Champions League, Champions League 11/12, Futebol Internacional e marcado como , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: