Seleção brasileira de vôlei tenta se recuperar da má fase para ganhar o ouro em Londres


por Renan Araújo

O título da Polônia na Liga Mundial de Vôlei escancarou uma situação desanimadora para o Brasil. A seleção brasileira, que perdeu os Jogos de Pequim em 2008, derrotou a Polônia apenas uma vez em quatro oportunidades na primeira fase e dependeu de uma série de resultados para se classificar. Na segunda fase, a equipe perdeu para Cuba e Polônia para ser eliminada da competição.

Brasil tenta superar a má fase para conquistar o tricampeonato olímpico (Foto: Divulgação/FIVB)

A seleção brasileira, que dominou toda a década dos anos 2000 com a medalha de ouro nos Jogos de Atenas em 2004, os Campeonatos Mundiais de 2002 na Argentina, no Japão em 2006 e na Argentina em 2010, a medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de 2007 e 2011 e os títulos da Liga Mundial de 2003 a 2007 e 2009 e 2010 quer ganhar a medalha de ouro para seguir mantendo sua hegemonia no vôlei mundial e mostrar que não foi passado para trás pelas outras grandes forças do esporte.

A seleção vive uma má fase técnica, em que vem cometendo muitos erros fáceis em momentos importantes de jogos decisivos. Os jogadores parecem não se encontrar e não demonstrar a mesma vontade que em jogos anteriores. Para piorar a situação, os principais jogadores da seleção sofrem com contusões e tem que se recuperar rapidamente para competir. Dante e Murilo têm, respectivamente, lesões no ombro e no joelho e serão operados após os Jogos. Giba, que ficou de fora de parte da primeira fase, voltou para a seleção mas ainda não está 100% para jogar.

Mas o maior problema talvez esteja nos adversários do Brasil. Rússia (campeão da Liga Mundial em 2011), Polônia (Campeã da Liga Mundial em 2012), Bulgária e Estados Unidos (campeão dos Jogos Olímpicos de Pequim 2008). Com jogadores altos, essas seleções vem mostrando uma constante evolução e apostam em equipes com jogadores altos, na força e na técnica para continuar no topo. Sérvia, Cuba e Itália são outras seleções que também correm por fora.

Vôlei feminino

No vôlei feminino, o Brasil também terá um grande desafio para repetir a medalha de ouro dos Jogos de Pequim. Após perder o Campeonato Mundial e a Copa do Mundo, o Brasil ganhou o Grand Prix em 2009, mas nos três anos seguintes ficou em segundo lugar atrás dos Estados Unidos. Além disso, a seleção não conseguiu se classificar para as Olimpíadas no ano passado por meio da Copa do Mundo e precisou conquistar a vaga no Pré-Olímpico das Américas.

Ao menos na campanha do Grand Prix desse ano a seleção teve um bom desempenho e só foi superada pela equipe americana. Como principais adversárias, o Brasil terá os Estados Unidos, a Rússia, a China e a Itália.

No elenco o Brasil terá novidades. A experiente ponteira Mari foi cortada e não participará das Olimpíadas. O corte foi anunciado pelo técnico José Roberto Guimarães e especula-se que tenha ocorrido não só por sua má fase, mas também por problemas de relacionamento com as demais companheiras. O Brasil que treinava com 14 atletas terá apenas mais uma vaga de corte agora para chegar com as 12 atletas que disputarão as Olimpíadas.

Sobre Jornaleiros do Esporte

Site sobre esportes dos alunos da Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Email : jornaleirosdoesporte@gmail.com Twitter : @Jesporte Facebook : http://www.facebook.com/#!/profile.php?id=100002390365816

Publicado em 11 de julho de 2012, em Vôlei e marcado como , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: