Super Bowl 47 – Wide Receivers e Tight Ends


por Flavio Darin

Continua a análise dos jogadores que domingo fazem em New Orleans, a edição 47 do Super Bowl.

Wide Receiver

O corpo de WR dos times que farão o Super Bowl é uma mescla de atletas experientes e jovens, e também jogadores muito rápidos, que fazem parte do time de especialistas e que em alguns momentos figuram como opção de passe em snaps durante o jogo.

WR

Os 49ers tem Michael Crabtree como WR numero um, jogador que foi draftado na posição 10, na primeira rodada do draft de 2009. O Atleta demorou a vingar na liga, muito por conta de Alex Smith, que apenas na temporada passada acertou a mão, e “consagrou” jogadores que eram considerados busts, como Crabtree e o Tight End Vernon Davis. Mario Manningham, recebedor numero dois machucou ainda na metade da temporada, e desfalca a equipe no Super Bowl 47. Depois da lesão de Manningham, abriu-se espaço para Randy Moss, veterano jogador que após uma temporada aposentado, assinou com os 49ers, mas Randy Moss, é um capitulo a parte, e depois falaremos dele. O novato A.J. Jenkins, draftado na primeira rodada ainda não recebeu nenhum passe na temporada, e mais uma vez, deverá ficar apenas no banco de reservas. Ted Ginn Jr. e Kyle Williams, que pertencem também ao time de especialistas, podem aparecer em alguns snaps.

Baltimore renovou seu grupo de recebedores nos últimos anos. Atravez da free agency, chegou o experiente Aquain Boldin, que já disputou um Super Bowl com o Arizona Cardinals, e Jacoby Jones, ex- Houston Texans, e que também auxilia no time de especialistas. O principal nome, ou o responsável pelas big plays é Torrey Smith, segundo anista que sempre aparece em momentos chaves da partida. Tandon Doss, David Reed e Deonte Thompson completam o grupo de recebedores, mas como coadjuvantes, pois combinados, receberam para 1 TD e pouco mais de 200 jardas.

Jogador Coringa

Coringa WR

Deixamos para falar de Randy Moss, possivelmente o segundo melhor WR da história da NFL, ficando apenas atrás de Jerry Rice, em uma categoria separada. Moss chegou com status de grande arma para a temporada dos 49ers, mostrando uma grande performance nos treinos fechados, e fazendo com que várias equipes se interessaram no seu futebol antes de fechar contrato em San Francisco. Até o momento Moss soma 28 recepções, 434 jardas e 3 TD. Números modestos para alguém que é o número dois na história da NFL recepcionando TDs. Mas o veterano de 35 anos pode ser o fiel da balança, alto pode ser importante na red zone, além disso a sua experiência deve contar e muito na hora de Kaepernick lançar uma bola quando a marcação estiver justa. Rotas inteligentes de Moss o consagraram durante a sua carreira, e se os deffensive backs de Baltimore vacilarem, Moss pode ser decisivo no Super Bowl 47.

Tight Ends

A posição que vem se reinventando no mundo do futebol americano, também é importante nos playbooks de 49ers e Ravens.

TE

A dupla de SF formada por Vernon Davis e Delanie Walker não é das mais modernas como o par Rob Gronkowski e Aaron Hernandez de New England, mas nem por isso é menos importante. Vernon Davis renasceu para o futebol americano na temporada passada quando Alex Smith lançou o TD da vitória no jogo da semi-final de conferência contra o New Orleans Saints, o jogador tido com um problema dentro do vestiário por conta da sua instabilidade emocional, calou o ex-técnico da equipe, Mike Singleterry, e os torcedores que nunca enxergaram qualidades em Davis para que justificasse a sua alta escolha no draft. Desde que Alex Smith foi bancado por Jim Harbaugh, Davis tem recebido menos passes, até por conta da maior variação entre passes e corridas do próprio Colin Kaepernick, mas na semana passada, Davis voltou a receber um passe para TD, e deve ser efetivo principalmente atuando pela parte central do campo de jogo. Diferente de Davis, Delanie Walker tem se destacado na atual temporada por correr em rotas na lateral do campo, seus posicionamentos, usando a largura do campo tem proporcionado para Kaepernick ótimas opções de passe, além disso ambos os TE se adequaram rapidamente a mudança de QB, e consequentemente na proteção e na abertura de espaços para Colin Kaepernick.

Os Ravens, assim como no grupo de WR também mudaram os seus TE. O veterano Tood Heap foi liberado, e abriu espaço para Dennis Pitta e Ed Dickson. Ambos foram draftados em 2010, na 4ª e 3ª rodada respectivamente, e tem superado expectativas. Rotas basicamente pelo meio do campo, além da força física de ambos os jogadores, que constantemente enfrentam defesas agressivas, como as do Pittsburgh Steelers e do Cinccinnati Bengals. Tem sido, assim como Ray Rice, peças importantes no auxilio a Joe Flacco no momento de finalizar as jogadas e marcar pontos.

Anúncios

Sobre Jornaleiros do Esporte

Site sobre esportes dos alunos da Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Email : jornaleirosdoesporte@gmail.com Twitter : @Jesporte Facebook : http://www.facebook.com/#!/profile.php?id=100002390365816

Publicado em 29 de janeiro de 2013, em NFL e marcado como , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: