Super Bowl 47 – As histórias em torno da decisão – A morte de Art Modell e a aposentadoria de Ray Lewis


por Brunno Panosso

Na principal semana do esporte norte-americano, o Jornaleiros apresenta as maiores histórias em torno da decisão do próximo domingo em Nova Orleans. O Super Bowl 47 vem com um grande enredo, o quarterback que sai da reserva e lidera o time à grande decisão; os fatores emocionais de Baltimore: Da lenda que pode se aposentar com mais um título, à superação da morte do histórico dono da franquia e o duelo dos irmãos Harbaugh na sideline.

Ray Lewis (esq.) e o falecido dono Art Modell (dir.). (Foto: USA Today)

A morte do lendário dono Art Modell foi a inspiração para o Ravens na temporada

Baltimore sempre foi uma cidade apaixonada por futebol americano, mas toda essa paixão ficou orfã entre 1983, quando o Colts saiu da cidade as escondidas, literalmente, já que o dono do Colts, Robert Irsay, contratou vários caminhões e sumiu de Baltimore, com todos os documentos e equipamentos da franquia, com destino a Indianapolis. Aquilo doeu para os apaixonados fãs da franquia em Baltimore, dor essa que só foi amenizada em 1996, quando Art Modell, então CEO do Cleveland Browns, decidiu, de maneira controversa, relocar a franquia para Baltimore. As cores, o nome e a história do Browns(ao contrário do que houve com o Colts, que levou a história de Baltimore para Indianapolis) ficaram em Cleveland. O nome da franquia de Baltimore é uma homenagem à Edgar Allan Poe e sua mais conhecida obra – The Raven -. O Baltimore Ravens trazia novamente a alegria aos torcedores de Baltimore, a alegria de contar com uma equipe para torcer no esporte favorito da cidade, Art Modell tornava-se um herói em Maryland e isso cresceu com a conquista do Super Bowl 35. Em 2004, Art deixou o posto de CEO do Ravens mas, continuou sendo idolatrado por toda a comunidade de Baltimore.

No dia 6 de setembro de 2012, alguns dias antes do início da temporada para o Ravens, Art Modell morreu, aos 87 anos e deixou um vitorioso legado para Baltimore. Na estreia da equipe, durante um Monday Night Football, o Ravens entrou com um patch ao lado esquerdo do uniforme, em homenagem à Art e, assim como o Patriots foi ao Super Bowl inspirado pela perda de Myra Kraft(mulher de Robert Kraft, dono da equipe), Art Modell inspirou os atletas de Baltimore até a final e certamente durante a grande final seguirá sendo carga extra de emoção para a equipe.

Despedida à altura de uma lenda: O Super Bowl derradeiro de Ray Lewis

Falar do Baltimore Ravens, é falar também de uma lenda da NFL. O linebacker Ray Lewis é um exemplo de amor ao jogo. A cena é conhecida do torcedor da NFL, entra toda a equipe de Baltimore e por último a camisa 52 surge saindo do túnel, Ray Lewis corre e para um pouco depois de sair do túnel. Fazendo um ruído semelhante ao de um corvo, Ray faz a dança, que é mais que uma dança, é um ritual, um ritual que explode o M&T Bank Stadium, um dos mais hostis da liga e mostra ao adversário que ali vive uma lenda, que ali as coisas se tornarão bem complicadas durante o jogo. Outra cena conhecida, logo após a entrada, um emocionado Ray Lewis mira o céu ao cantar o hino dos Estados Unidos, muitas vezes às lágrimas. Tudo isso é uma prévia para o que está por vir dentro de campo em alguns minutos.

Dizer que a história do Ravens por vezes se confunde com a história de Ray Lewis não é exagero. O Ravens surgiu para a liga em 1996, Ray Lewis surgiu para a liga em 1996, draftado por Baltimore e de lá nunca saiu. Assim como o Ravens, Ray teve a glória máxima em 28 de janeiro de 2001, foi o segundo jogador defensivo da história da NFL a ser eleito o MVP do Super Bowl, na vitória do Ravens por 34 a 7 sobre o Giants no Super Bowl 35. Ray Lewis é considerado um dos maiores da história da liga, por 10 vezes foi nomeado All-Pro pela Associated Press, foi 13 vezes selecionado para o Pro Bowl, sempre considerado um exemplo de raça, durante a última temporada regular, num jogo contra o Dallas Cowboys, Ray Lewis rompeu o triceps, a imprensa botou um ponto final na carreira do jogador. Que engano, de forma incrível Ray Lewis se recuperou e voltou à equipe para os playoffs, fazendo parte das incríveis vitórias sobre o Broncos e o Patriots fora de casa. Para a tristeza dos fãs da NFL, 3 de fevereiro será a última vez que um dos maiores de todos estará em campo, o que se espera é um Ray Lewis ainda mais inspirado para terminar a carreira com um segundo anel.

Anúncios

Sobre Jornaleiros do Esporte

Site sobre esportes dos alunos da Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Email : jornaleirosdoesporte@gmail.com Twitter : @Jesporte Facebook : http://www.facebook.com/#!/profile.php?id=100002390365816

Publicado em 3 de fevereiro de 2013, em NFL e marcado como , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: