Futuro do Basquete: Vander Joaquim


por Lucas Vian

A quadragésima quarta edição do bloco sobre grandes nomes atuais da NCAA traz Vander Joaquim, de Hawaii.

Vander Joaquim atuando pelo Warriors. (Foto: Divulgação/Hawaii)

Vander Joaquim atuando pelo Warriors. (Foto: Divulgação/Hawaii)

Natural de Luanda, capital da Angola, Joaquim foi aos EUA apenas em 2007 quando se matriculou na Christian High School, na cidade de El Cajon, Califórnia, e jogando lá conseguiu uma média de 21,1 pontos, 16,8 rebotes e 3,2 bloqueios por partida, números surpreendentes. Se formou pela Mounta State Academy, de West Virginia.

Na NCAA, ele escolheu jogar por Eastern Utah, onde atuou em seu ano de calouro. Joaquim não era titular e teve uma baixa média de 8,9 pontos e 6,9 rebotes. Ainda assim conseguiu sete double-doubles.

Para seu segundo ano, ele decidiu se transferir para Hawaii, após ficar uma temporada parado devido às regras da NCAA.

Em seu segundo ano na liga, e primeiro na universidade havaiana, Joaquim também não era titular e teve uma média de 9,7 pontos e 8,3 rebotes por partida.

Em seu segundo ano, já como titular, a média aumentou para 14,3 pontos e 9,5 rebotes por partida, chamando atenção da mídia local.

Na atual temporada, a média está em 14,1 pontos e 8,1 rebotes por jogo.

Se Joaquim realmente for para a NBA, ele será o primeiro angolano na liga.

Opinião do Jornaleiro
Vander Joaquim não parece ser um jogador fraco, porém já é possível vê-lo na D-League. Por ser angolano, as coisas podem ficar mais difíceis para ele na NBA. Passando pela minúscula Eastern Utah, onde mesmo assim conseguiu mostrar seu basquete, Joaquim se mostrou esforçado, apesar de estar em um time fraco.

Anúncios

Sobre Jornaleiros do Esporte

Site sobre esportes dos alunos da Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Email : jornaleirosdoesporte@gmail.com Twitter : @Jesporte Facebook : http://www.facebook.com/#!/profile.php?id=100002390365816

Publicado em 19 de fevereiro de 2013, em Basquete e marcado como , , . Adicione o link aos favoritos. 5 Comentários.

  1. Porquê é que por ser angolano as coisas podem ser mais difíceis para ele na NBA?

    • Olá Gerson,

      Primeiramente agradeço a participação.

      Coloquei tal constatação na parte “Opinião do Jornaleiro” devido a dificuldade que jogadores não-americanos possuem na NBA. Não é possível afirmar que há preconceito com jogadores estrangeiros na liga americana, mas há uma cobrança maior em jogadores que não são dos EUA.

      Pode se analisar isso no Draft de 2012, após a equipe do New York Knicks draftar o grego Kostas Papanikolaou, destaque do Olympiacos na temporada 2011-12 da EuroLiga. A escolha foi seguida de muitas vaias, uma clara prova da ignorância do americano em relação ao basquete europeu.

      Essa dificuldade pode ocorrer com Joaquim, que mesmo sendo um bom jogador, poderá ser bastante criticado pelos americanos.

      Obrigado pela atenção,

      Lucas Vian

  2. Agradeço a resposta.

  1. Pingback: Definidas as semifinais do AfroBasket | Jornaleiros do Esporte

  2. Pingback: Angola e Egito fazem a final do AfroBasket 2013 | Jornaleiros do Esporte

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: