Real Madrid cala Camp Nou e está na final da Copa do Rei


por Pedro Domingues

Por si só, o Superclássico entre Real Madrid e Barcelona já vale muito. A imensa rivalidade entre as equipes, motivada não apenas pelo futebol, mas também por razões políticas e territoriais, já faz com que esse duelo seja recheado de emoções, lances polêmicos e acima de tudo, bom futebol. Quando se coloca em jogo a vaga na final de uma competição importante como a Copa do Rei da Espanha, aí a partida tem tudo para ser um jogo memorável.

Cristiano Ronaldo foi decisivo no Superclássico (Getty Images)

Cristiano Ronaldo foi decisivo no Superclássico (Foto: Getty Images)

E nesta terça-feira (26), Barcelona e Real se enfrentaram no Camp Nou, no jogo válido pela semifinal da Copa do Rei. Após a primeira partida terminar empatada por 1×1, o Barça precisaria apenas de um empate sem gols, enquanto o Real Madrid precisaria vencer ou empatar por dois gols ou mais. E Cristiano Ronaldo tratou de colocar o clube merengue na final da Copa, esperando a definição do adversário da final no duelo entre Atlético de Madrid e Sevilla, que se enfrentam amanhã.

Primeiro tempo movimentado e com gol de CR7

Quem esperava um Barcelona dominante e com vontade de vencer após a derrota para o Milan na Champions League, não se decepcionou no início do confronto. Como sempre, o time catalão administrava bem a posse de bola e sufocava o Real em seu campo de defesa. Porém, o clube madrilenho possuía dois trunfos que fizeram a diferença na primeira etapa.

Bem armado por Mourinho, o Real contava com um sistema defensivo sólido. Com Messi e Iniesta pouco inspirados, a zaga formada por Sérgio Ramos e Varane praticamente anulou a participação ofensiva do Barcelona. Contando com a ajuda dos volantes Xabi Alonso e Kedhira, além dos laterais Fábio Coentrão e Arbeloa, a defesa merengue pouco sofreu com os ataques de Messi e Cia.

Além de sua forte defesa, o Real Madrid conta sempre com ele: Cristiano Ronaldo. E o craque da camisa sete não se escondeu do jogo. Logo aos 13 minutos, aproveitou o bom contra-ataque do Real e no mano a mano com Piqué, sofreu pênalti bem marcado pelo árbitro da partida. Com o próprio CR7 na bola, o Real abriu o placar e se colocou em vantagem na disputa pela vaga na final.

Apostando no contra-ataque, o Real marcava forte e apesar de jogar mais fechado que o Barça, assustava o goleiro Pinto frequentemente com os chutes de Ronaldo. Enfrentando uma defesa sólida, o Barcelona se mostrava nervoso dentro de campo, acumulando faltas contra sua equipe. Porém, foi numa falta a favor do time catalão que surgiu a melhor chance de gol para os donos da casa. Após falta cometida por Arbeloa, Messi bateu com muita qualidade, mas a bola passou raspando a trave. Fim de primeiro tempo, Real Madrid em vantagem. 1×0.

Show merengue

Se para a segunda etapa o Barcelona parecia vir mais agressivo,  o Real Madrid surpreendeu e dominou a segunda etapa. Com a zaga anulando o ataque catalão, o Real continuava apostando nos contra-ataques.  E se já contava com um craque do nível de Cristiano Ronaldo, a equipe madrilenha também tinha um Di Maria em noite inspirada.

E em um lance do meio-campista argentino, o Real praticamente garantiu sua classificação para a final. Após um chutão da zaga do Real, Di Maria conseguiu dominar, deixar Puyol sentado e chutar para boa defesa de Pinto. Porém, no rebote estava Cristiano Ronaldo, que com muita tranquilidade dominou e de canhota anotou o segundo gol madrilenho.

Nervoso, o Barça já não tocava a bola com a mesma eficiência, mas ainda acreditava na classificação. Porém, com a má atuação de Lionel Messi, o time catalão não encontrava grandes alternativas para chegar aos gols necessários para a classificação. Aproveitando isso, o Real continuava a explorar o espaços dados pelo meio campo do Barcelona, chegando ao ataque com facilidade.

E se a zaga formada por Varane e Sergio Ramos ia saindo intacta no duelo contra um dos times mais ofensivos do mundo, Varane tratou de consagrar o sistema defensivo merengue. Após cobrança de escanteio, o zagueiro francês subiu no terceiro andar e fez o terceiro gol. Vaga na final mais que garantida para o time de Madrid.

Se o jogo parecia não ter mais emoções, o zagueiro Pepe, aniversariante do dia, foi responsável por deixar o jogo um pouco mais quente, causando um pequena confusão com Busquets e Puyol, que logo foi apaziguada pela arbitragem. Após a confusão , o Barcelona ainda conseguiu fazer o seu gol de honra, com Jordi Alba. Porém, nada que fosse suficiente para estragar a festa madrilenha.

Agora, o Real Madrid espera o vencedor de Atlético de Madri e Sevilla, confronto que define o adversário merengue na final.

Anúncios

Sobre Jornaleiros do Esporte

Site sobre esportes dos alunos da Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Email : jornaleirosdoesporte@gmail.com Twitter : @Jesporte Facebook : http://www.facebook.com/#!/profile.php?id=100002390365816

Publicado em 26 de fevereiro de 2013, em Futebol Internacional e marcado como , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: