NHL – Stanley Cup Playoffs – Jogos do dia 07/05/13


por Marcos Garcia e Jordan Marciano

O primeiro classificado para as semifinais da Liga Nacional de Hóquei americana foi definido nesta terça-feira (07). O San Jose Sharks varreu a série contra o Vancouver Canucks e passou de fase com um gol do overtime, o que definiu 4-0 no confronto. Também pela Oeste, o Chicago Blackhawks conseguiu vencer o Minnesota Wild por 3-0 e abriu 3-1 na disputa, o que garante aos Hawks a vaga nas semis com uma nova vitória no quinto jogo. No Leste, o clássico do Canadá foi igualmente disputado, o que rendeu ao Ottawa Senators a vitória no tempo extra contra o Montreal Canadiens, que não pode mais perder. Enquanto isso, o New York Islanders luta contra o Pittsburgh Penguins, no maior equilíbrio do Leste. O Isles empatou o duelo após vencer um jogo de 10 gols.

(Os tubarões não deram chances ao Vancouver e avançam para a semifinal. Foto: Divulgação/NHL)

Os tubarões não deram chances ao Vancouver e avançaram para a semifinal. (Foto: Divulgação/NHL)

Vancouver Canucks 3-4 San Jose Sharks

O San Jose Sharks é a primeira equipe classificada para as semifinais de conferência da NHL. Jogando em casa a equipe da Califórnia precisou do Overtime para bater o Vancouver Canucks por 4 x 3 e varrer o adversário por 4 x 0 na série. Equilibrado desde seu início, a partida começou com um gol logo cedo, anotado por Brent Burns para San Jose, desviando o puck da direção do goleiro Corey Schneider. A resposta canadense veio em forma de empate cinco minutos depois, com Mason Raymond acertando um wrist shot do meio do gelo e Niemi aceitando. A 1º etapa equilibrada só não terminou em igualdade porque Joe Pavelski resolveu aparecer novamente e colocar os tubarões de volta na frente do marcador, usando o puck que sobrou de uma tentativa de Patrick Marleau que parou na trave do goleiro adversário e terminou no stick do camisa 8.

Após um 2º período sem gols, graças principalmente as grandes defesas de Schneider para Vancouver, o jogo voltou a empolgar no período decisivo e os canadenses ensaiaram uma reação, primeiro em gol de Alex Burrows depois de assistência os irmãos Sedin no power play, seguido do gol da virada, anotado pelo defensor Alexander Edler, em belo Slap Shot. Apesar de atrás no marcador, San Jose continuou mantendo a calma característica da equipe durante toda a série e empatou com Joe Pavelski mais uma vez, em power Play. Já na prorrogação, novo erro de Vancouver que resultou em PP para os mandantes e no gol de Patrick Marleau, no rebote de Schneider. 4 x 3 e vaga garantida na próxima fase para a equipe da Califórnia.

Ottawa Senators 3-2 Montreal Canadiens

A 4º partida da série entre Montreal Canadiens e Ottawa Senators manteve o fator equilíbrio elevado e voltou a empolgar a torcida canadense. Jogando em casa, os Sens tiveram que suar para superar o adversário, batendo o rival apenas no overtime, com gol de Wrist Shot do talentoso Kyle Turris, logo no início do tempo extra. O triunfo começou a construído apenas no 3º período, quando a partida já estava 2-0 em favor dos Habs, graças aos gols de PK Subban e Alex Galchenyuk, ambos marcados no período anterior após 20 minutos iniciais sem gols no Bell Centre e em Wrist Shots sem chances de defesa para Craig Anderson.

O caminho da reação foi iniciado graças ao gol de Mika Zibanejad, desviando um tiro de Chris Neil e enganando Carey Price. A pressão dos mandantes seguiu durante toda a etapa final, mas parecia que o bom posicionamento defensivo iria manter Montreal na frente do placar e garantir o empate na série. Com apenas 23 segundos para o fim da partida a jogada fatal de Ottawa aconteceu e Chris Conacher foi oportunista para empurrar o puck pro fundo das redes, aproveitando linda assistência de Danny Alfredsson. Com a torcida e o momento a seu favor, o gol de Turris era questão de tempo e fez a comemoração ser ainda mais incrível na arena, levando a franquia a 3-1 na série, precisando de apenas mais uma vitória para chegar a tão sonhada semifinal.

Pittsburgh Penguins 4–6 New York Islanders

O ritmo da partida foi o mesmo das disputas anteriores nesta série. Isles com hits fortes e uma estratégia física, enquanto o Pens se manteve mais tático e técnico, com as investidas de Sidney Crosby na articulação das jogadas. No primeiro tempo, os mandantes tomaram a liderança do marcador, com um wrist shot de Strait, aos 14 minutos (0-1). Porém, o time de Pittsburgh alcançou a igualdade, 45 segundos mais tarde. Malkin recebeu de frente para a meta e tocou na direita, onde James Neal jogou o disco fora do alcance de Nabokov (1-1).

O equilíbrio se instaurou no gelo, mas as duas equipes criavam chances e quem mais trabalhava eram os goleiros. Na marca de 6, o time de New York ficou na frente do placar mais uma vez. Mark Streit recebeu o passe de Boyes e jogou o puck nas redes adversárias (1-2). Novamente, o Penguins seguiu consistente em sua maneira de jogar, o que rendeu o empate e a virada dos visitantes. Aos 7, Malkin aproveitou a demora na troca de linha do Isles, partiu em velocidade e mandou o tiro do empate (2-2). Com 9 minutos restantes, Morrow jogou da direita para a esquerda, onde Sutter dominou e não desperdiçou (3-2). Mas o momento de vantagem do Pens não demorou, pois aos 18, Okposo conseguiu um arremate de trás das redes e levou o Isles para o intervalo com a igualdade (3-3).

Durante o terceiro tempo, antes do primeiro minuto, o Penguins assumiu a ponta, com uma jogada de deflection realizada por Depuis, após o chute de Kunitz (4-3). A partir de então, os donos da casa acharam a melhor forma de anular o adversário e marcaram os gols que decidiram a vitória aos Islanders. Aos 4, Streit marcou o seu segundo gol no jogo com um slap shot (4-4). A virada ocorreu aos 10, quando John Tavares recebeu o puck de Boyes e saiu em comemoração (4-5). Com a vitória praticamente garantida, ainda sobrou tempo de Cizikas balançar as redes dos visitantes pela sexta vez, com um lance de backhand, aos 18, e fazer a festa com a torcida de azul (4-6).

Chicago Blackhawks 3–0 Minnesota Wild

Apesar de mais uma partida consistente de Patrick Kane, Marian Hossa e um shootout de Corey Crawford no gelo, os Hawks não impuseram o seu jogo contra os mandantes, que pressionavam e faziam o goleiro adversário trabalhar em suas defesas. Porém, o time de Minnesota perdeu algumas oportunidades surgidas e um Power-Play. Com isso, o time de Chicago melhorou e abriu o placar na marca de 9 minutos do primeiro período. Hossa fez uma linda jogada, roubou o puck e serviu Handzus, que finalizou, mas Patrick Sharp apareceu e fez uma deflection, que enganou o guarda redes Harding (1-0).

Com a desvantagem, os selvagens desanimaram. Do contrário, os Hawks se motivaram e foram para cima, o que resultou no segundo gol do jogo. O revés veio antes dos 2 minutos do segundo tempo, com um erro da linha defensiva dos Wild. No lance, Sharp se adiantou ao adversário, dominou o disco no stick e surpreendeu o goleiro da casa com um wrist shot (2-0). Já no período final, o confronto estava no controle do time campeão da Presidents´trophy. A superioridade dos Hawks resultou no gol que liquidou a fatura. Por volta dos 13 minutos, depois de grande disputa pela posse do puck, Bryan Bickell carregou pelo lado direito e arriscou quase sem ângulo, uma finalização indefensável para o Minnesota (3-0).

Anúncios

Publicado em 8 de maio de 2013, em NHL e marcado como , , , , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: