Pré-jogo: Dia das mães vermelho e verde na capital Paranaense


por Getulio Xavier

Duas datas importantes marcam a tarde deste domingo (12) em Curitiba, a primeira o dia das mães, que certamente será comemorada por todo o estado, já a segunda o Atletiba, que será festejado apenas pelo lado vencedor. Os times chegam a final do Campeonato Paranaense 2013 com duas campanhas e times extremamente distintos, mas que no primeiro jogo da decisão se equivaleram com um empate de 2 a 2.

Apresentacao-Coritiba-Atletico-PR_LANIMA20110826_0057_26

Um lado é mais experiente, o outro praticamente um estreante no clássico. Um time fez um primeiro turno quase impecável e o segundo turno contestado, já o outro ficou apagado no primeiro turno e foi quase soberano no segundo. Este foi o contexto que formou a final do Paranaense 2013.

Comparar os times do Coritiba e Atlético que chegam na final é uma tarefa um pouco complicada, mas que mostra que não existe uma fórmula secreta para se formar um time campeão.

Campanhas

Quando se fala da trajetória dos times no campeonato claramente se vê uma divisão entre turnos.

O Coritiba, assim como o Atlético, começou o campeonato com um empate, mas, com calma e experiencia se acertou e conquistou o primeiro turno invicto, conseguindo 8 vitórias e 3 empates.

Na volta do campeonato o que se viu foi um Coritiba diferente, totalmente oposto ao que iniciou a competição, apesar disso, o time ainda conseguiu 6 vitórias, mas amargou 3 empates e a derrota nos clássicos contra o Paraná e Atlético.

O Atlético iniciou a competição com o discurso de que não se importava com o estadual e foi isso que se viu em campo, o time sub-23 foi escalado, sofreu uma sequência de tropeços e conseguiu apenas 3 vitórias no primeiro turno. As derrotas para o Coxa e o Paraná levantaram muitas criticas a postura.

No returno o que se viu foi um time com pinta de experiente, o elenco se acertou com o treinador e com a torcida. De casa “nova” e fôlego de menino o Atlético garantiu 8 vitórias, 2 empates e 1 derrota e viu o time sub-23 levantar a taça do segundo turno.

Protagonistas

Douglas Coutinho (esq.) é o grande nome do CAP, já pelo Coxa a aposta para o clássico é Alex (dir.) (Fotos: Divulgação)

Douglas Coutinho (esq.) é o grande nome do CAP, já pelo Coxa a aposta para o clássico é Alex (dir.) (Fotos: Divulgação)

Alex chegou no fim de 2012 no Coxa, mas só entrou em campo em 2013, o experiente meio de campo é o maior ídolo do time alviverde e volta ao time com 35 anos, trazendo uma bagagem enorme e a calma que faltava ao elenco. Chegou com a função de fazer a bola chegar com qualidade nos atacantes, mas acabou fazendo a função de finalizador, com 13 gols o camisa 10 é o artilheiro da competição e tem recebido mais assistências do que tem as dado.

Douglas Coutinho é o atacante sensação do Atlético Paranaense, apelidado de Balotelli da Baixada pela torcida, o jogador de 19 anos já mostrou qualidade e faro de artilheiro, com 11 gols ele disputa a artilharia do campeonato com Alex. Coutinho já foi utilizado no time principal pelo Copa do Brasil e tem tudo para se integrar no elenco do Brasileirão e deixar o nome na história do clube.

“Vilões”

Pelo lado do Coritiba o zagueiro Escudero se envolveu em polêmicas na semana da final. O argentino trocou ofensas com um torcedor do rival pela sua conta no twitter. Escudero chamou o atleticano de porco, esquentando ainda mais o clima da decisão. Tudo indica que o zagueiro seja o titular no clássico e pelo teor das declarações ele parece estar muito motivado para o confronto.

O presidente atleticano Mario Celso Petraglia foi quem polemizou durante a semana. Mantendo seu estilo “inovador” ele ameaçou impedir o time de entrar em campo no domingo. A decisão seria tomada se a Federação não atendesse o pedido de um árbitro de fora para apitar o jogo, a FPF manteve o árbitro local, mas Petraglia desistiu de impedir o time de jogar.

Desfalques

O lateral direito Léo, um dos melhores em campo na primeira partida da decisão, vai desfalcar o Atlético. Ele cumpre suspensão pelo 3º cartão amarelo e no seu lugar três jogadores disputam a vaga, Elivélton, Renato e Jean Felipe. Na lateral esquerda Héracles volta a posição.

Pelo Coritiba a duvida é também na lateral direita, Victor Ferraz ainda sente dores e provavelmente fique de fora, no seu lugar entra o volante Gil, que desde o ano passado faz alguns jogos improvisados na posição. Outra duvida é na lateral esquerda, Patric pode ficar de fora para a entrada de Escudero, a saída do lateral é por decisão tática e não por problemas físicos.

Escalações

O Coxa jogará no esquema 4-4-2, com dois volantes e dois meias na armação de jogadas, conta ainda com zagueiros que marcam muitos gols de cabeça, fazendo da bola parada uma forte arma.

Coritiba: Vanderlei, Gil e Escudero; Leandro Almeida e Chico na zaga; Willian e Sérgio Manoel como volantes; Alex e Robinho no meio; no ataque Deivid e Rafinha.

O Atlético vem a campo com um esquema mais ofensivo, joga no 4-3-3 contando com muita velocidade do meio pra frente, tornando isso sua principal arma.

Atlético: Santos; Renato e Héracles; a dupla de zaga é Rafael Zuchi e Bruno Costa; os meias são Foguinho, Hernani e o na armação Zezinho; formando o trio de ataque Edigar Junio, Crislan e Douglas Coutinho.

Confira os gols do primeiro jogo da final

Anúncios

Publicado em 12 de maio de 2013, em Futebol Nacional e marcado como , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: