Brasil vence o Japão por 3×0 e convence o torcedor na estreia


por Vinicius Silva

No primeiro jogo da Copa das Confederações, o Brasil venceu o Japão pelo placar de 3×0 e convenceu a torcida. Neymar, Paulinho e Jô marcaram os tentos que resultam em um bom saldo de gols. Na próxima rodada, a seleção canarinha enfrenta o México em Fortaleza e os japoneses encaram a Itália no Recife.

Jogadores brasileiros comemoram (Foto: Getty Images)

Jogadores brasileiros comemoram (Foto: Getty Images)


Neymar mostra o cartão de visitas

O jogo mal havia começado e os brasileiros já marcaram. Com 3 minutos, Fred ajeitou com o peito e Neymar fuzilou no ângulo para marcar seu vigésimo primeiro gol com a amarelinha. Os japoneses não se abateram muito e responderam com Honda. Primeiro ele cobrou falta e exigiu boa defesa de Julio Cesar. Depois, Kagawa puxou rápido contra ataque e o camisa 4 chutou por cima.

A seleção brasileira começou a trocar mais passes, enquanto os asiáticos chagavam rápido ao ataque quando tinham a posse da bola. O jogo era equilibrado, com muitas jogadas ofensivas dos dois lados. Com 18 no cronômetro, Julio Cesar apareceu outra vez para defender mais uma tentativa de Honda. Três minutos depois, Hulk tabelou com Daniel Alves pela direita e cruzou. O goleiro Kawashima espalmou para o meio da área e a defesa afastou antes da chegada de Paulinho.

No final da primeira etapa, os brasileiros voltaram a assustar. Aos 40, Hulk cortou pra dentro e mandou uma bomba, acertando a rede pelo lado de fora. No minuto seguinte, Neymar lançou Fred. O atacante dominou e arriscou a finalização forte e rasteira para a defesa do goleiro.

Paulinho e Jô ampliam

Como na primeira etapa, o Brasil logo marcou. Paulinho apareceu livre na área depois do cruzamento de Daniel Alves e finalizou forte para ampliar a vantagem. Os japoneses responderam com Okazaki. O atacante antecipou o cruzamento de Uchida e tocou de primeira, mas a bola foi pra fora. A vantagem deu mais tranquilidade ao time de Felipão e mais pressa aos orientais, porém, poucas chances eram criadas. Foi em um lance consequente de uma bola parada que o Japão chegou. Aos 25 e depois da confusão na área, Maeda soltou um foguete e Julio Cesar conseguiu defender. A última chance foi em um chute de longa distância de Kagawa. E, no último minuto, Oscar enfiou um bom passe para Jô fechar o caixão.

NÚMEROS DO JOGO:
Posse de bola: Brasil 63% / 37% Japão
Finalizações: Brasil 11 / 9 Japão
Roubadas de bola: Brasil 23 / 8 Japão
Passes errados: Brasil 50 / 25 Japão
Faltas cometidas: Brasil 15 / 13 Japão

Ficha Técnica:

Brasil: Julio Cesar; Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e Marcelo; Luiz Gustavo, Paulinho, Oscar, Neymar (Lucas) e Hulk (Hernanes); Fred (Jô). Técnico: Luiz Felipe Scolari.

Japão: Kawashima; Uchida, Konno, Yushima e Nagamoto; Hasebe, Endo, Kiyotake (Maeda), Honda (Inui) e Kagawa; Okazaki. Técnico: Alberto Zaccheroni.

Local: Estádio Mané Garrincha
Data/ Horário: 15/06/13 (sábado), às 16h (horário de Brasília);
Árbitro: Pedro Proença, auxiliado por José Trigo e Bertino Miranda (Portugal/FIFA);

Cartões Amarelos:  (Brasil) Hasebe (Japão);
Público: 67.427 pagantes;

Opinião do Jornaleiro:
Fora das quatro linhas:
a estreia ficou marcada por mais manifestações confrontadas pela despreparada Polícia e pelas sonoras vaias à presidenta Dilma Rousseff. Joseph Blatter deu uma bronca nos brasileiros e também ouviu a justa “homenagem”. A FIFA atropela a Constituição brasileira e Blatter quer aplausos?

Participação das autoridades: ridícula.
Participação da torcida pré-jogo: justa (se não ótima).

Neymar foi o grande nome da seleção (Foto: AFP Photo)

Neymar foi o grande nome da seleção (Foto: AFP Photo)

Dentro das quatro linhas: Felipão encontrou seu time titular com Luiz Gustavo e Paulinho como volantes. Contra o Japão, essa dupla foi importante e facilitou o controle da partida . Luiz Gustavo ficou mais fixo e Paulinho apareceu bem no ataque, assim como faz no Corinthians e como todos querem vê-lo atuando. Julio Cesar, Thiago Silva e  Oscar também foram importantes.

Com isso dito, posso dar o destaque da partida para Neymar. O craque não fez uma partida extraordinária, mas foi importantíssimo. Decidiu na primeira finalização que teve, dando a vantagem e a tranquilidade para o resto da equipe. Além disso, apareceu bem nos lances que participou. Foi objetivo e esboçou dribles, sendo o principal homem ofensivo. Foi substituído para não ter uma suposta lesão agravada, mas começa a render o que se espera dele. 

Os japoneses formam uma boa equipe, porém, não ameaçaram o Brasil. Kagawa e Honda são ótimos jogadores, mas ainda falta alguém para criar boas jogadas ofensivas. Deverá sofrer contra Itália e México. Zaccheroni ainda tem muito o que melhorar em um país que promete, num futuro, um futebol mais competitivo.

Com toda a desorganização extra campo da estreia, a seleção canarinha se destacou dentro das quatro linhas.

Anúncios

Publicado em 15 de junho de 2013, em Copa das Confederações e marcado como , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: