Opinião: Brasil é tetra e o futebol segue mudando


por Vinicius Silva

O Brasil conseguiu pela quarta vez o título da Copa das Confederações. Entre muitas discussões de diferentes aspectos, Felipão mostrou serviço e recuperou a imagem da seleção pentacampeã mundial derrubando a poderosa Espanha. A Fúria, daqui para frente, será cada vez mais ultrapassada e é preciso novas mudanças para se manter no topo. A final do evento teste para o Mundial de 14 foi espetacular e apresentou a mais nova mudança do futebol. 

Felipão comemora o título da Copa das Condeferações (Foto: Reuters)

Felipão comemora o título da Copa das Condeferações (Foto: Reuters)

Os brasileiros entraram em campo bem preparados. Com uma marcação forte e pressionando, não deram mole para os campeões mundiais. Julio Cesar apareceu bem e se firma no gol. David Luiz foi tão monstruoso na defesa quanto Thiago Silva é. Daniel Alves e Marcelo foram bons na parte defensiva. Luiz Gustavo e Paulinho cuidaram do meio que geralmente é controlado por Xavi e Iniesta. Hulk e Oscar ajudaram a dupla de volantes e ainda criaram algumas jogadas, porém, o que se destacou foi a liberdade que deram para Neymar. E o camisa 10 foi espetacular, incomodando seus novos companheiros de clube a todo instante. Fred, na referência do ataque, foi oportunista e brilhou. Marcou dois gols e ainda saiu premiado da partida.

A vitória é de comemorar, mas os pés devem ficar no chão.

Felipão: grupo vai se fechando

Na convocação do grupo, Luiz Felipe Scolari afirmou que os jogadores convocados disputariam a Copa das Confederações e não descartava mudar para a Copa do Mundo. Ponto para o Big Phil. Ele demonstrava a vontade de vencer, mas não descartou a derrota e necessidade de mudanças. Campeão, é pouco provável que mude suas ideias e promova grandes alterações entre os convocados, deixando de lado nomes como Ronaldinho Gaúcho, Robinho e Kaká (assim como fez com Romário em 2002).

Felipão: resgate da imagem da seleção

Outro aspecto foi a popularidade da seleção canarinha. A população brasileira, entre reinvidicações para melhorias do país, separou a equipe dentro de campo do restante. E o Brasil cresceu. Com atuações mostrando evolução (exceto contra o Uruguai), a seleção canarinha termina a competição impondo o respeito que o país mais vitorioso no esporte merece. A amarelinha está em fase de conclusão das “obras” e vai chegar ainda mais forte ano que vem.

Jornalismo

Em algumas entrevistas, Felipão e jogadores falavam que a imprensa brasileira trabalhava contra a seleção. Jornalistas não precisam ficar babando em cima de jogador ou comissão técnica. Pode-se discutir que um Nelson Rodrigues faz falta nos dias atuais, mas como disse Millôr Fernandes: “Jornalismo é oposição. O resto é armazém entre secos e molhados”.  Em todas as mídias, é necessário criticar e apontar erros para melhorias. Relatar fatos e interpreta-los é o papel do jornalista. Portanto, se existirem falhas durante as partidas em qualquer aspecto, elas deverão ser noticiadas e não atuar como a imprensa espanhola, que “veste” a camisa da seleção.

O futuro do futebol

Antes de tudo, quero dizer aos que dizem que o Maracanã não existe mais. O novo Maraca, ou o novo estádio que ali está, teve um belo capítulo no início da sua história.

Existe aquele velho clichê que futebol é momento. Que façamos uso desse clichê. Não há dúvidas de que os espanhóis apresentaram uma nova maneira de jogar futebol. Sempre surgem equipes que inovam o futebol. Mas parece que o tempo deles passou e, para se manter no topo, é melhor atualizar essa maneira. A vitória do Brasil mostrou isso.

Enquanto a amarelinha renasceu, a Fúria se escondeu. A Itália já havia combatido o poder da equipe de Vicente Del Bosque e atuado melhor. Outra prova foi o massacre do Borussia e Bayern sobre o Real Madrid e o Barcelona. O antídoto contra os campeões mundiais já é conhecido e eles não estão mais tão distantes do restante.

Parabéns ao Brasil pela Copa das Confederações. E que o futebol nos surpreenda ainda mais na Copa do Mundo.

Anúncios

Publicado em 1 de julho de 2013, em Copa das Confederações e marcado como , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: