Opinião: Canadá, o futuro do basquete


por Lucas Vian

Com grandes nomes do basquete canadense aparecendo, fica a dúvida: o posto de segunda maior potência do basquete poderá ser do Canadá?

O primeiro gênio canadense no basquete, o inventor do esporte James Naismith. (Foto: Arquivo/Kansas)

O primeiro gênio canadense no basquete, o inventor do esporte James Naismith. (Foto: Arquivo/Kansas)

Que os Estados Unidos são a maior potência no basquete não há discussão. De gerações em gerações americanos vem tendo o posto de o principal nome do basquete no mundo, desde George Mikan, passando por Bill Russell, Elgin Baylor, Wilt Chamberlain, Kareem Abdul-Jabbar, Earvin “Magic” Johnson, Michael Jordan, Shaquille O’Neal, Scottie Pippen, Karl Malone, David Robinson, Allen Iverson, Kobe Bryant até LeBron James. A lista de grandes jogadores americanos é longa.

Atualmente, a Espanha ocupa a segunda posição no basquete. Grandes nomes atuais da NBA vêm de terras espanholas, tal como Pau e Marc Gasol, José Calderón, Víctor Claver e Ricky Rubio. Além dos grandes nomes que não atuam mais na liga, tal como Juan Carlos Navarro, Rudy Fernández e o maior de todos eles, Juan Antonio San Epifanio.

Mesmo com a ascenção de jovens jogadores que representam a Espanha, como por exemplo o congolês Serge Ibaka e o montenegrino Nikola Mirotic, o posto de segunda maior nação do basquete está em xeque.

O canadense Wennington (esq.) com o craque Pippen (dir.). (Foto: NBAE/Getty Images)

O canadense Wennington (esq.) com o craque Pippen (dir.). (Foto: NBAE/Getty Images)

Mesmo sendo procedente da África do Sul, Steve Nash vem representando o Canadá desde 1992 enquanto atuava pela Universidade de Santa Clara, no estado da Califórnia. Foi destaque na NCAA e mostrou o basquete canadense com outros olhos ao público americano.

Mas a relação entre o Canadá e basquete vem de antes disso.

O criador do esporte, James Naismith, é natural da cidade de Almonte, na província de Ontario, no Canadá. E antes de Nash, outro nome canadense já havia sido destaque na NBA, Bob Houbregs, natural de Vancouver, British Columbia, se destacou atuando pelo Milwaukee Hawks (hoje em Atlanta), Baltimore Bullets (hoje Washington Wizards), Boston Celtics e Fort Wayne Pistons (hoje em Detroit). Na década de 90, o québécois Bill Wennington se destacou jogando no Chicago Bulls de Jordan-Pippen-Rodman.

Agora você deve estar se perguntando: “mas o Canadá não é o ‘FUTURO’ do basquete?”

Sim, acredito que sim. De 2007 até hoje, o Canadá vem ganhando vários representantes na NBA. Entre eles o haitiano Samuel Dalembert, jogador recém-contratado pelo Dallas Mavericks. Alguns anos depois a lista aumentou com Cory Joseph (San Antonio Spurs), Kris Joseph (Brooklyn Nets), Andy Rautins (Tulsa 66ers, da D-League), Tristan Thompson (Cleveland Cavaliers) e Robert Sacre (Los Angeles Lakers).

O que realmente torna o Canadá um grande formador de talento, são os novos nomes que estão saindo do país.

De Gonzaga, Pangos (esq.) continua na universidade, enquanto Olynyk (dir.) já foi para a NBA. (Foto: Divulgação/Gonzaga)

De Gonzaga, Pangos (esq.) continua na universidade, enquanto Olynyk (dir.) já foi para a NBA. (Foto: Divulgação)

Entre eles cita-se Kelly Olynyk, destaque por Gonzaga na NCAA, hoje recém-draftado pelo Boston Celtics. Olynyk é natural de Toronto, na mesma província de Naismith. O primeiro selecionado no Draft de 2013 também vem de terras canadenses. Anthony Bennett, que atuou por UNLV na liga universitária e hoje é parte do elenco do Cleveland Cavaliers, vem da mesma cidade que Olynyk.

Destaque no universitário porém não escolhido no Draft de 2013, o congolês naturalizado canadense Myck Kabongo havia sido destaque pela tradicional Universidade do Texas em seu período universitário.

Outro nome que poderá fortalecer o basquete profissional canadense no futuro é o antigo companheiro de Olynyk em Gonzaga, Kevin Pangos continua na NCAA como o principal nome da equipe do Bulldogs. O companheiro de equipe de Bennett em UNLV, Khem Birch, também pode se destacar no basquete. Indo para sua segunda temporada na NCAA, Birch não foi bem em seu ano de calouro, mas pode melhorar em 2013-14.

Muitos nomes foram citados, mas o jogador que mais torna o Canadá o grande futuro do basquete é Andrew Wiggins. Recém-chegado na NCAA, Wiggins foi destaque no basquete escolar e sua qualidade está surpreendendo aos olheiros de basquete. Ele que irá atuar a temporada 2013-14 por Kansas, está cotado para ser um “one-and-done”, jogadores que atuam no período universitário por apenas uma temporada.

O posto de segunda maior potência do basquete, que hoje pertence à Espanha de Pau Gasol, está em xeque. O Canadá é um grande candidato a ocupar essa vaga.

Andrew Wiggins atuando pela seleção de base do Canadá. (Foto: Sports Journal)

Andrew Wiggins atuando pela seleção de base do Canadá. (Foto: Sports Journal)

Anúncios

Sobre Jornaleiros do Esporte

Site sobre esportes dos alunos da Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Email : jornaleirosdoesporte@gmail.com Twitter : @Jesporte Facebook : http://www.facebook.com/#!/profile.php?id=100002390365816

Publicado em 30 de julho de 2013, em Basquete e marcado como , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: