Stanislas Wawrinka derrota Murray e enfrentará Djokovic na semifinal do US Open


por Renan Araujo

Se na quarta-feira a surpresa do US Open foi a classificação de Richard Gasquet, nesta quinta-feira uma nova surpresa aconteceu no último Grand Slam do ano. O suíço Stanislas Wawrinka derrotou o britânico Andy Murray por 3×0, com parciais de 6/4, 6/3 e 6/2 e se classificou para as semifinais do US Open, o que já é a sua melhor campanha da sua carreira em Grand Slams. Murray é o atual campeão do torneio, número 3 do mundo e tinha tudo para chegar pelo menos às semifinais, já que estava jogando no mesmo nível e às vezes até melhor que os dois melhores atualmente, Novak Djokovic e Rafael Nadal. A vitória do suíço número 10 do mundo surpreende, mas não é de hoje que ele vem mostrando ter um grande potencial no tênis.

Wawrinka chega a sua primeira semifinal de Grand Slam na carreira (Foto: Divulgação)

Wawrinka chega a sua primeira semifinal de Grand Slam na carreira (Foto: Divulgação)

Wawrinka vive o melhor ano de sua carreira. Ele foi campeão do Torneio de Oeiras, em Portugal ao vencer David Ferrer (número 4 do mundo) e vice-campeão do Masters 1000, quando perdeu para Nadal (número 2 da ATP). Além disso, fez no Australian Open um jogo épico contra Novak Djokovic quando o sérvio venceu o suíço apenas no quinto set por 12/10. No Us Open ele também enfrentou adversários fortes como Radek Stepanek, Ivo Karlovic, Marcos Baghdatis e Tomas Berdych Dessa forma chegou ao seu melhor ranking da ATP na carreira, a nona posição. Tudo isso apenas agora aos 28 anos.

 Apesar disso, nunca venceu outros torneios de grande expressão e alcançou sua maior glória ao vencer as duplas nas Olimpíadas de Pequim em 2008 ao lado de Roger Federer. Mas o suíço possui, assim como seu compatriota um estilo de jogo muito consistente e equilibrado, baseado na paciência e em golpes certeiros. Há muito tempo, mesmo perdendo alguns jogos importantes, ele já vem mostrando um jogo superior ao de outros tenistas melhores posicionados que ele. E foi isso que ele demonstrou no jogo contra Andy Murray.

Logo no primeiro set, ele quebrou o saque do adversário no décimo game quando vencia por 5/4. O britânico teve sete chances de confirmar seu serviço, mas não conseguiu e se irritou quebrando a sua raquete. O temperamental Murray que não mostrava suas caras desde que ele começou a ficar entre os primeiros do ranking mostrou as suas caras e o britânico não voltou mais ao normal. Estava irritado e nervoso, errando muito. Já Wawrinka estava tranqüilo, agressivo e consistente nas horas certas, tanto nos seus serviços quando para quebrar os saques do adversário com seus winners. Dessa maneira ele derrotou facilmente o adversário por 3×0.

Agora, o suíço terá que encarar o número 1 do mundo, Novak Djokovic e terá a chance de se vingar da derrota no Australian Open. Contra ele está o retrospecto de 12 derrotas em 14 jogos contra o sérvio. Nos último onze jogos o sérvio ganhou todos. Já o suíço que é o terceiro de seu país ao chegar a essa fase de um Grand Slam (depois de Roger Federer e Marc Rosset) tem a seu favor a confiança por sua melhor temporada na carreira, pela campanha histórica e pela possibilidade de estar entre os oito melhores ao fim do ano.

Djokovic x Youzhny

(Foto: USOpen.org)

(Foto: USOpen.org)

O sérvio Novak Djokovic confirmou seu favoritismo e ganhou do russo Mikhail Youzhny por 3×1, com parciais de 6/3, 6/2, 3/6 e 6/0 para se confirmar nas semifinais e seguir na luta pelo seu segundo título de US Open na carreira (venceu em 2011 e foi vice ano passado). Essa também será a sua sétima semifinal desse torneio. Até agora, foi uma campanha tranqüila e apenas um set perdido. Youzhny chegou à partida após uma vitória heróica contra o australiano Lleyton Hewitt em cinco sets de virada e era, entre os presentes nas quartas de finais, o pior colocado no ranking da ATP. Mas isso não impediu o russo de dar trabalho ao sérvio.

Djokovic começou o jogo de maneira avassaladora como já era esperado. Dominando seu adversário, ele apenas jogou como um número 1 do mundo cheio de variação de golpes, consistência e firmeza e o russo era presa fácil para o sérvio. Dessa forma, Djokovic faturou os dois primeiros sets sem dificuldade e parecia que fecharia o jogo no set seguinte. Mas no terceiro set, o sérvio sofreu um apagão. Errou muito e não conseguia devolver bem as bolas de seu adversário. Já o russo ganhou confiança e quebrou o saque duas vezes. Mas no quarto set, Djokovic se ajeitou mentalmente e retomou a frieza e a firmeza de seus golpes para ganhar com um 6/0 e fechar o jogo.

Contra o suíço Wawrinka ele deve ter o adversário mais competitivo pela frente e que, ao contrário de Youzhny, consegue ser mais agressivo e objetivo constantemente. Dessa vez ele não poderá ceder os mesmos erros que cedeu nessa partida se quiser vencer sem passar por grandes sufocos. As ele, assim como Nadal, provou novamente que não se abala com erros e é capaz de enfrentar grandes dificuldades durante o jogo e voltar a jogar em grande nível.

Anúncios

Sobre Jornaleiros do Esporte

Site sobre esportes dos alunos da Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Email : jornaleirosdoesporte@gmail.com Twitter : @Jesporte Facebook : http://www.facebook.com/#!/profile.php?id=100002390365816

Publicado em 6 de setembro de 2013, em Tênis. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: