Jones passa aperto, Barão nocauteia e ambos mantêm cinturões no UFC 165


por João Pedro Alves

Dois cinturões foram colocados a prova na noite deste sábado (21) no UFC 165 e continuaram sob os cuidados dos campeões. Na luta principal do evento, Jon Jones teve o maior desafio como detentor da cinta dos meio pesados contra Alexander Gustafsson, sofreu um aperto em alguns momentos, mas venceu na decisão. O brasileiro Renan Barão teve uma noite mais tranquila, nocauteando Eddie Wineland com um bonito chute que o manteve com o título interino dos galos.

Bones fez luta parelha com Gustafsson e venceu por decisão unânime (Foto: Esther Linn/MMA Fighting)

Jones sangra e é quedado pela primeira vez, mas segue com a cinta

Soberano entre os pesos meio pesados, o americano Jon Jones talvez pela primeira vez tenha ficado perto de perder o cinturão. Sem a vantagem da envergadura, “Bones” fez uma luta equilibrada contra o sueco Alexander Gustafsson e viveu novas situações no octógono, como ser quedado e sofrer um corte no rosto. Superior no “conjunto da obra”, o campeão venceu na decisão e bateu o recorde de defesas de título na categoria: chegou a seis, superando Tito Ortiz que teve cinco.

(Foto: Reprodução/Combate)

Jones sofreu alguns sustos e sangrou no octógono pela primeira vez (Foto: Reprodução/Combate)

Logo no início da luta principal do UFC 165, Gustafsson mostrou que seria um adversário difícil de ser batido. Sem se intimidar com o histórico do campeão, o europeu trocou de igual para igual com Jones. Mais que isso, acertou um cruzado que fez o americano sangrar acima do olho e quando teve a oportunidade o quedou pela primeira vez na carreira.

O combate foi seguindo no mesmo ritmo nos rounds seguintes. De um lado, o desafiante ao título apostava no boxe para acertar alguns bons golpes, pontuar e fazer uma luta parelha. De outro, Bones utilizou o jogo de pernas e as famosas – e perigosas – cotoveladas para abrir vantagem.

O melhor momento de Jon Jones no duelo aconteceu no final do quarto round, quando encaixou algumas cotoveladas e joelhadas que abriram um ferimento no rosto de Alexander Gustafsson e o deixaram cambaleante no cage.

A decisão ficou nas mãos dos juízes, que por unanimidade (48-47, 48-47 e 49-46) decretaram a vitória para Jon Jones. Apesar de ter ter se mantido como campeão, o americano não aprovou a apresentação que teve em Toronto, no Canadá. “Esta noite foi chocante em todos os sentidos. Eu não estou satisfeito com o jogo que eu fiz”, afirmou.

Renan, o “barão” interino dos galos, mira título definitivo

Enquanto o campeão Dominick Cruz segue se recuperando de lesão e não luta há dois anos, o brasileiro Renan Barão vem cuidando bem da categoria dos galos do UFC. No co-main event da noite, o lutador potiguar aplicou um belo nocaute no americano Eddie Wineland e se manteve com a cinta na segunda defesa do título interino.

Barão comemora mais uma vitória com dancinha no octógno (Foto: Reprodução/Combate)

Barão comemora mais uma vitória com dancinha no octógno (Foto: Reprodução/Combate)

Em uma luta perigosa contra um adversário nocauteador e ex-campeão do WEC, Barão tentou levar o duelo para seu “habitat natural”, o solo. No entanto, Wineland defendeu a tentativa de queda e manteve o combate em pé. E o primeiro round inteiro foi de uma trocação equilibrada entre os lutadores.

No segundo assalto, o brasileiro voltou para acabar com a luta – e isso aconteceu rapidamente. Em apenas 25 segundos, o atleta da Nova União arriscou um chute rodado de direita e acertou em cheio o rosto do gringo, que caiu. No solo, Barão ainda desferiu alguns socos até que o árbitro paralisasse a luta e confirmasse a permanência do cinturão com o brasileiro.

Após o nocaute, ainda no octógono, Renan Barão desabafou e desafiou Dominick Cruz, que já foi avisado pelo presidente Dana White que perderá o título se não entrar no octógono até o início do ano para encarar o “barão dos galos”. “Esse cinturão é meu! Não sai. Que venha Dominick Cruz! Que venha qualquer um”, enfatizou o campeão interino, que chegou à 31ª vitória em 33 lutas na carreira.

Brasil tem placar favorável nas preliminares

Além de Renan Barão, que deu show no card principal, outros três brasileiros entraram em ação nas preliminares: Michel “Trator”, Reneé Forte e Wilson Reis. O placar não foi 100% favorável, mas foi positivo com duas vitórias e uma derrota.

Os sucessos ficaram por conta de Trator e do estreante Reis. Os dois venceram na decisão dos juízes: o primeiro derrotou o canadense Jesse Ronson; o outro, considerado “azarão”, surpreendeu Ivan Menjivar e derrotou o salvadorenho por decisão unânime.

Já o ex-TUF Reneé Forte não teve a mesma sorte. Contra John Makdessi, que lutava em casa, o cearense foi para a trocação e levou a pior: recebeu um soco de direita em um contragolpe, foi a knockdown e o canadense acabou com aluta desferindo golpes no solo.

UFC 165
Air Canada Centre, em Toronto, Canadá

Sábado, 21 de setembro de 2013

CARD PRINCIPAL

Peso meio pesado: Estados Unidos Jon Jones x Suécia Alexander Gustafsson
– Jones derrotou Gustafsson por decisão unânime dos juízes (48-47, 48-47 e 49-46).

Peso galo: Brasil Renan Barão x Estados Unidos Eddie Wineland
– Barão derrotou Wineland por nocaute técnico (chute rodado) aos 25 segundos do segundo round.

Peso pesado: Estados Unidos Brendan Schaub x Estados Unidos Matt Mitrione
– Schaub derrotou Mitrione por finaização (D’Arce Choke) aos 4:05 do primeiro round.

Peso médio: França Francis Carmont x Chipre Costa Philippou
– Carmont derrotou Philippou por decisão unânime dos juízes (30-27, 30-27 e 30-26).

Peso leve: Rússia Khabib Nurmagomedov x Estados Unidos Pat Healy
– Nurmagomedov derrotou Healy por decisão unânime dos juizes (30-27, 30-27 e 30-27).

CARD PRELIMINAR

Peso leve: Estados Unidos Myles Jury x Canadá Mike Ricci
– Jury derrotou Ricci por decisão dividida dos juízes (29-28, 28-29 e 29-28).

Peso galo: Brasil Wilson Reis x El Salvador Ivan Menjivar
– Reis derrotou Menjivar por decisão unânime dos juízes (29-28, 29-28 e 29-28).

Peso meio médio: Estados Unidos Stephen Thompson x Canadá Chris Clements
– Thompson derrotou Clements por nocaute (socos) aos 1:27 do segundo round.

Peso galo: Canadá Mitch Gagnon x Estados Unidos Dustin Kimura
– Gagnon derrotou Kimura por finalização (guilhotina) aos 4:05 do primeiro round.

Peso leve: Canadá John Makdessi x Brasil Reneé Forte
– Makdessi derrotou Forte por nocaute (socos) aos 2:01 do primeiro round.

Peso leve: Brasil Michel “Trator” x Canadá Jesse Ronson
– Trator derrotou Ronson por decisão dividida dos juízes (28-29, 29-28 e 29-28).

Peso galo: Estados Unidos Alex Caceres x Canadá Roland Delorme
– Caceres derrotou Delorme por decisão dividida dos juízes (29-28, 28-29 e 29-28).

Peso pesado: Polónia Daniel Omielanczuk x Áustria Nandor Guelmino
– Omielanczuk derrotou Guelmino por nocaute (soco) aos 3:18 do terceiro round.

Anúncios

Sobre Jornaleiros do Esporte

Site sobre esportes dos alunos da Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Email : jornaleirosdoesporte@gmail.com Twitter : @Jesporte Facebook : http://www.facebook.com/#!/profile.php?id=100002390365816

Publicado em 22 de setembro de 2013, em Lutas e marcado como , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: